Os rios na baixa do Porto – Como assim, plural?

Há rios na cidade do Porto para além do Douro: outrora correram livres pela cidade, abasteceram hortas e lavadouros e saciaram a sede da população portuense. Hoje circulam encanados, bem debaixo dos nossos narizes incautos, à espera de serem lembrados.

 

RIO FRIO

Também denominado Rio do Carregal este curso de água nasce bem perto do ICBAS, na rua da Torrinha. Corre até ao Jardim do Carregal, passando pelo Hospital Santo António até que, enfim, desce para o Rio Douro onde desagua debaixo do edifício da Alfândega Nova.

Jardim do Carregal

Jardim do Carregal

O rio Frio abastecia a Fonte das Virtudes, uma construção imponente do início do século XVII situada numa zona nobre da cidade. Ainda é possível encontrar a fonte, embora lhe falte a sua principal virtude – a figura da Virgem que se apresentava no centro da obra.

Calçada das Virtudes onde atualmente jovens e turistas se aglomeram para presenciar um verdadeiro pôr-do-sol à Invicta.

 

RIO DA VILA

O Rio da Vila (ou Rio da Cividade) nasce em frente à estação de São Bento, no subsolo da chamada Praça Almeida Garrett. É abastecido por dois cursos de água que percorrem a cidade:

O primeiro nasce na zona do Marquês e percorre a avenida principal da cidade do Porto. Em tempos idos, abastecia os populares lavadouros da Trindade. O segundo curso nasce na zona da Fontinha, desce pelo Bolhão e pela atual rua Sá da Bandeira até se juntar ao seu eterno parceiro de viagem.

mw-860

O Rio da Vila circula parcialmente encanado desde o século XVIII e, até deixar de circular a céu-aberto – 100 anos depois -, foi causa de odores nauseabundos e a dor de cabeça da população portuense. Corre até ao Douro pela Rua Mouzinho da Silveira e o seu término é, ainda hoje, um frequentadíssimo spot de taínhas.

 

 

 

Desengane-se quem pensa que estes são assuntos do passado! Em 2013, o Rio da Vila deu de si, provocando uma derrocada na concorrida rua Mouzinho da Silveira. Em 2018, espera-se que seja possível visitar o rio na sua morada no subsolo, num museu peculiar que contará a história da paisagem transformada e do desenvolvimento citadino que se deveu a todo este processo. Ao todo, os visitantes poderão percorrer 350 metros da sua extensão. 

Fontes: http://www.cm-porto.pt/patrimonios/chafariz-das-virtudes-fonte-do-rio-frio

http://www.porto.pt/noticias/rio-de-vila-sera-um-museu-subterraneo

http://portoarc.blogspot.pt/2013/03/28-ribeiras-e-pontes-i.html

 


Beatriz Neves