Jornadas de Medicina Veterinária

12309035_1009222815806071_959135968_n

Foto das Jornadas de Medicina Veterinária de 2014

O final de Novembro chegou finalmente e sabes o que isso significa – castanhas assadas, primeiras decorações de Natal na rua e, claro, as Jornadas de Medicina Veterinária de volta! A quinta edição deste evento, tão acarinhado por toda a comunidade de Medicina Veterinária, será nos dias 28 e 29 de Novembro.

    Esta edição será organizada em duas salas principais – Neurologia e Medicina de Reprodução e ambas visarão temas de pequenos e grandes animais. A estrutura desta edição foi editada e, ao contrário de edições anteriores, o sábado (28 de Novembro) contará com palestras teóricas de variados temas e o domingo (29 de Novembro) incluirá dois workshops práticos. Tanto as palestras quanto os workshops serão orientados por oradores convidados e com experiência na matéria.

    Sendo assim, os participantes poderão adquirir ou aprofundar conhecimentos sobre patologias reprodutivas comuns, complicações pós-parto na égua e no potro, doenças infecciosas de manifestação neurológica ou neurorreabilitação funcional, entre muitos outros.

    As Jornadas de Medicina Veterinária são organizadas por uma Comissão Organizadora composta inteiramente por alunos, da qual faz parte o Tiago Ribeiro, aluno do terceiro ano do MIMV. Propusemos-lhe algumas questões acerca dos objetivos e pontos principais desta edição do evento:

Quais as competências que se podem desenvolver nas Jornadas?

                  No ponto de vista de um participante, as V Jornadas de Medicina Veterinária têm para oferecer, para além das competências científicas óbvias que as palestras presenteiam, aptidões de cariz mais prático (dando como exemplo os workshops de Casos Clínicos e Exame Neurológico) ou até capacidades de comunicação, não só com os outros participantes, mas também com os oradores, no contexto da Medicina Veterinária.

Qual a razão da escolha dos temas de Neurologia e Medicina da Reprodução nesta edição?

               Como, nesta edição, o que pretendíamos acima de tudo era mudar o conceito do programa, de modo a aproximar as Jornadas de Medicina Veterinária a uma formação profissional, tivemos que lidar com uma nova estruturação das salas. Assim, uma vez que estavam planeadas salas transversais, preferimos optar por um tema único para cada sala. De modo a assegurar o máximo interesse por parte do corpo estudantil em relação às Jornadas, decidimos escolher estes temas. A Medicina de Reprodução foi pensada sobretudo para os alunos dos primeiros anos, uma vez que os seus conhecimentos são mais básicos (e alguns alunos contactaram um pouco com o tema em Biologia no Ensino Secundário) sendo os assuntos abordados adequados para esta faixa. Já Neurologia foi pensada para os anos superiores e para profissionais, uma vez que é uma área complexa que requer bases específicas e mais assentes.

Porque foram acrescentados workshops, em relação às edições anteriores?

               De uma forma sucinta, foi para responder aos pedidos e críticas feitos às versões anteriores. Os alunos pediram uma componente prática maior e foi isso que tentámos fazer!

Qual o público alvo destas Jornadas?

               Com a ideia que tivemos para ordenar as salas  o nosso principal objetivo era, em parte, “abrir as portas”. Queríamos um congresso que conseguisse apelar a todos na área de Medicina Veterinária, quer sejam formados ou estudantes.

De que maneira podem complementar a formação académica?

Na minha opinião, um congresso serve sempre para nos atualizarmos a nível de conhecimento científico. Como sabemos, há áreas da Medicina Veterinária que têm elevado potencial, onde a descoberta é constante. Deste modo, o que pretendemos fornecer aos nossos participantes são as novidades abrangidas pelos temas desta edição das Jornadas. Além disso, prometemos também o reforço de algum conhecimento lecionado nas aulas, sem haver uma total sobreposição.

Devem todos os estudantes de Veterinária participar?

Sim, sem dúvida. Do meu ponto de vista é uma oportunidade excelente aproveitar estes congressos, não só pelo conhecimento que podemos adquirir nas temáticas abrangidas pela nossa área preferida mas também para obter uma visão mais geral dos horizontes que a Medicina Veterinária oferece.

Deverão médicos veterinários participar?

Sim! A participação neste tipo de congressos é uma via para um médico veterinário se manter atualizado quer em novas práticas quer em novo conteúdo científico propriamente dito.

 

As inscrições decorreram do dia 8 ao dia 20 de novembro e cada estudante pôde inscrever-se numa sala de palestras. O evento contará com apoios como a Royal Canin, a Veterinária Atual, a Improve International e a Fujifilm, entre muitos outros.