Notas Soltas 2

  Naquele dia lembro-me de gritar: “Odeio-o! E a partir de hoje odeio café!” Não se ouviu mais nada… Hoje quero um café comprido, sem açúcar, por favor.   Laura P.

Notas soltas 1

Não devias ter beijado, não devias ter sentado, não devias ter deixado, não devias ter esquecido. Esqueci-me que havia poesia. Disseram-me que não devia escrever poesia. Foi o que disseram. Foi o que ouvi. Ainda assim, escrevi. Ah e li! Laura P.

Fiquei com a mania de que sou poeta

poetry

    Jamais o procurarei e porquê? Olhos não o vêem, mas o buscam Harmonias da sua ausência Nostalgias que nos assustam Concreto, o certo momento E ilusório, o efêmero pensamento Num exército de um passado Agora na luta do desacompanhado E o título? Nunca o vi, mas acho que é a primeira letra de … [Read more…]

Refrigério

poetry

Voltaire dizia que “a poesia é a a música da alma, e, sobretudo, de almas grandes e sentimentais”. Principalmente em semanas difíceis como esta que está a acabar (e que a Corino deseja que tenha corrido bem a todos os seus leitores), um pequeno poema anima sempre o nosso dia. Com este, de Bruno Matos … [Read more…]