40 Anos do Coral de Biomédicas

Concerto 40 AnosNo passado dia 7 de dezembro, o Coral de Biomédicas (CICBAS) celebrou 40 anos de existência, com um concerto em duas partes que encheu o Salão Nobre da Reitoria da Universidade do Porto.

Durante a primeira parte, os coralistas atuais do CICBAS levaram o público numa viagem pelas suas obras mais populares, tais como o sucesso da Disney, Beauty and the Beast, o intemporal Hallellujah de Leonard Cohen ou um medley pop de Adele.

Na segunda parte, o palco ficou ainda mais carregado de talento, com a junção de muitos ex-coralistas àqueles que iniciaram o concerto. Alguns recém-formados, outros que viram de perto a fundação deste grupo académico, mas todos com uma ligação inquestionável ao CICBAS. A obra apresentada foi a Misa Criolla de Ariel Ramírez, sem esquecer o toque colombiano de Bullerengue e o eterno sucesso do CICBAS, Acordai, de Fernando Lopes-Graça, que arrancou da plateia aplausos efusivos e até algumas lágrimas. À frente do coro a marcar o ritmo, como em todas as atuações desde 1994, esteve o conceituado Maestro António Sérgio Ferreira.

Ainda antes do final do concerto, houve oportunidade de ouvir algumas palavras da Professora Corália Vicente, atual Presidente do Concelho Pedagógico do ICBAS e fã autoproclamada do Coral desde a sua criação, bem como de Catarina Grande, filha de Nuno Grande, que felicitou todos os coralistas presentes e afirmou “Tenho a certeza de que o meu pai estaria muito feliz se estivesse aqui, hoje, a assistir a este concerto”.

No final da noite, era visível nas expressões de cada um dos elementos da organização a sensação de missão cumprida. “(…) foi o resultado do esforço prolongado de todos os coralistas. Foi uma experiência absolutamente inesquecível, cantar os grandes êxitos do CICBAS com pessoas que fazem parte da sua história e do seu futuro, em conjunto com todos os icbasianos que nos têm acompanhado ao longo destes 40 anos.”, diz Dinis Loyens, Presidente do Coral de Biomédicas, deixando ainda um agradecimento a todos os envolvidos.

Com este ambicioso projeto, o CICBAS reuniu elementos de todas as gerações e trouxe do fundo do baú memórias há muito vividas, num ambiente de genuína felicidade, e, inevitavelmente, de muita nostalgia. Assumindo-se orgulhosamente como o grupo mais antigo do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, o CICBAS abre em beleza o caminho para mais 40 anos de sucessos e de histórias.

Daniela R. Nogueira